terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

[Zoologia em foco #1] O tamanduaí

Tamanduá bandeira e sua língua comprida.
Foto: Animais em destaque.
Os tamanduás são interessantes mamíferos que podem ser facilmente identificados por várias características, como a cabeça alongada, a boca desprovida de dentes e uma língua muito comprida e pegajosa. O mais famoso desses animais é o tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla Linnaeus, 1758) que é conhecido devido a sua beleza e grande tamanho. Porém, dentro do grupo que inclui todas as espécies de tamaduás (a ordem Pilosa, subordem Vermilingua) existem outras três espécies de animais igualmente bonitos e interessantes, que são o tamanduaí (Cyclopes didactylus (Linneus, 1758)), o tamanduá-do-norte (Tamandua mexicana (Saussure, 1860); única espécie que não ocorre no Brasil) e o tamanduá-mirim ou tamanduá-de-colete (Tamandua tetradactyla (Linneus, 1758)).

O tamanduaí é um pequeno mamífero (possui cerca de 50 cm de comprimento) que habita áreas florestadas desde o México (região mais ao norte) até a Bolívia, passando pela Colômbia, Venezuela, Trinidad, Guiana, Suriname, Guiana Francesa e Brasil. Nesse link pode ser visualizado um mapa que mostra toda a área de distribuição da espécie. 
Tamanduaí em sua típica posição de defesa.
Foto: Pedro Freire Dias
No nordeste Brasileiro existe uma população que está separada das outras por mais de 1000 km. Como essa área sofre intenso desmatamento, esse grupo de indivíduos está sob séria ameaça de extinção. Já o restante das  populações de tamanduaí possui grande área de distribuição, principalmente na bacia amazônica, e havendo pouca preocupação quanto a seu risco de extinção. Infelizmente, em algumas áreas é comum encontrar esses animais mantidos em cativeiro e, uma vez encarcerados, esses animais morrem em poucos dias.

A biologia de populações selvagens é pouco conhecida. Sabe-se que os tamanduaís são animais noturnos, arborícolas, que os machos são solitários e que as fêmeas dão à luz a somente um filhote por ano. Machos e fêmeas são territorialistas; o território de uma fêmea não cruza com o de outra e o espaço do macho geralmente abrange o de duas ou três fêmeas, de tal forma que ele sempre tem fêmea(s) a sua disposição. 

O principal alimento dos Cyclopes didactylus são formigas e cupins, mas outros insetos, como abelhas, também podem entrar na sua dieta.  A cauda é preênsil e auxilia o animal a caminhar sobre galhos. Nas patas dianteira estão presente duas garras grandes e proeminentes que são utilizadas para abrir cascos de árvores, cupinzeiros e formigueiros em busca de alimento e para proteção quando se sentem ameaçados. 


Fonte e mais informações:
Superina, M., F.R. Miranda, & A.M. Abba (2010). The 2010 Anteater Red List Assessment. Edentata 11(2): 96-114.

Um comentário:

Carine Gonçalves disse...

Medo desse tamanduá em posição de defesa! ahahhahahaa... Posso dizer que ela parece ser bem eficaz..:P

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails